Costumo dizer que é ‘karma de nutri’ ter uma filha como a Pilar. Atenção, não me estou a queixar, dá-me muito gozo vê-la comer tudo com vontade, aliás, fomos nós que a ensinamos a ser assim. Seria pior que ela fosse das que tínhamos que ‘obrigar’ a comer por questões de peso e saúde, sei disso. Mas tê-los com apetência para a ‘comidinha boa’ também é um problema, até pela prevalência que se vê de excesso de peso. 
Mas continuando… ela tem o que eu chamo de ‘cérebro de comida’, ou seja passa-a-vida a falar em comida. Passo a citar:
Cenário 1: Nós a sair de casa para levar o mano à academia: “Mamã, vamos dar um passeio!? Onde vamos comer?!” [Não filha, não vamos comer a lado e nenhum!] 
Cenário 2: A caminho de uma festa de aniversário, todos no carro: “Mamã, vamos a uma festa?! Eu vou comer bolo, e batatas, Ok?!” [Imaginem um OK? com entoação persuasiva e deliciosa haha]
Cenário 3: Na festa, todos cantam os Parabéns, mas ainda ninguém partiu o bolo: “Mamã, porque não partem um bolo!? Não podemos ir embora sem comer uma fatia” [What!!?]
Cenário 4: A pensar preparar a festa de aniversário dela: Pi, o que queres para a tua festa?! – Quero bolo, chupas e um insuflável!! 😩
Cenário 5: A meio do treino de babybasket, a 1 hora de intervalo de ter tomado (um bom) pequeno-almoço, diz-me: – Mamã, tenho uma fominha!!! 😣
Cenário 6: Chega a casa (de alguém, seja lá de quem for), sai um “Olá!! O que tens para comer?!”😱
..
Claro que ela come tudo de bom, a alimentação dela é bastante cuidada por nós, lancha sempre panquecas de aveia, ovos, fruta, iogurtes naturais, frutos secos (e tâmaras que adora), come bastante bem as refeições principais … e não lhe damos nada que não seja biológico! Mas está sempre a pensar em comidaaa!! 
Na verdade, penso que se deve ao facto de ainda estar por casa com a minha mãe. À partida, só irá para a escola em Setembro, com os 3 anos já feitos. Por mais que a minha mãe seja minha amiguinha (que é), e ajuda muito na escolha dos alimentos, cumprindo o facto de ser tudo biológico, os horários, as ‘rotinas’ … tem muito o síndrome de ‘alimentadora’/de avózinha fofinha, e cede muitas vezes à pressão de “Só mais uma tâmara, por favor” (com olhos de gatos das botas)!! 
E por aí, também passam o o mesmo!? Também sentem que têm constantemente de planear a alimentação para que a criança não fique obesa?! Contem-me tudo, por favor! 😀